Serra do Curral
Serra do Curral

2.2 bilhões de anos acompanhando a evolução do planeta

Ao estudar a geologia local, entende-se que a Serra do Curral é formada por uma sequência de rochas sedimentares que possuem a mesma inclinação e direção, fenômeno conhecido como homoclinal. Numa sequência assim, a rocha mais jovem é aquela que se encontra no topo e, as camadas inferiores de rochas, são as mais antigas.

Porém, na Serra do Curral há uma inversão das camadas de rochas e, hoje, podemos observar as rochas mais antigas, sobrepostas às rochas mais jovens. Isso prova que o local passou, há 2,2 bilhões de anos atrás, por diferentes eventos tectônicos, responsáveis pela formação das montanhas, terremotos, tsunamis e pela conformação da paisagem.

Ela está ali há bilhões de anos, sobrevivendo a diversos eventos naturais e ciclos do planeta, muito antes do homem existir e pensar em construir, cercada pela Serra, uma cidade planejada, que é Belo Horizonte. A Serra do Curral é a testemunha histórica de toda a nossa evolução.

Trata-se de uma área de interesse nacional do ponto de vista científico, educativo, estético, cultural, histórico e turístico.

Localizada nos municípios de Belo Horizonte e Nova Lima, a serra do Curral corresponde a um homoclinal, cujo eixo se orienta, em linhas gerais, de nordeste para sudoeste, constituindo o limite norte do Quadrilátero Ferrífero. Toda a formação da Serra do Curral aponta para o mesmo lado.

Repare na sua visita!

A Serra do Curral foi eleita pelos belo-horizontinos, em 1995, símbolo da Capital e tem parte de sua área tombada como patrimônio municipal desde 1991. Tombada pela Lei Orgânica do Município e pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), ela é o marco geográfico mais representativo da região metropolitana de Belo Horizonte. Em 8 de setembro de 2012, foi inaugurado o Parque Serra do Curral.

Mas porque a Serra é do Curral?

Num contexto mais recente, a Serra do Curral tem seu nome associado ao antigo Curral Del Rey (atual Belo Horizonte). Em meados de 1709, companheiros de uma das armadas de Dom João V pediram dispensa dos serviços na Marinha Real e, fascinados pelas notícias que chegavam das minas de ouro partiram para essa Província. Nesse grupo, estava Francisco Homem Del-Rei, piloto da nau Nossa Senhora da Boa Viagem, que foi estabelecer-se num curral de gado que abastecia os estabelecimentos de mineração. Em 1716, Francisco, que havia construído uma capela, pediu licença ao rei para celebrar uma missa. Quando a licença chegou já se formava um povoado, então denominado Curral Del-Rei.

Registrada desde os primeiros mapeamentos está a característica da visibilidade do local por longas distâncias.

  • Richard Burton

    team16-notinclude
    Explorador britânico, 1860
  • A Serra do Curral é curiosamente desagregada em rochedos e proeminências (...). Ficou visível durante muitas milhas, e a avistaríamos mesmo do rio. Parece ser ela o limite setentrional da região montanhosa metalífera, especialmente no que se refere às grandes formações piritíferas, e, para além dela, começam os terrenos mais planos e mais cultiváveis, especialmente os grandes campos de pedra calcária.

Navegue também pelas serras

Promotoria

Apoio Técnico:

GGN

Apoiadores Financeiros:

CNPQ  Finep  Fapemig

Parceiros:

INCT Acqua  Codap  Cedecap

Uma realização:

Instituto Quadrilátero  Geopark Quadrilátero Ferrífero

Produção:

Orange Editorial

Curadoria Digital: Helio Martins

Textos: Thais Pacheco

Imagens: Bruno Senna, Helio Martins - Raw Filmes

Interpretação da paisagem: Doutora Jeanne Cristina Menezes Crespo

Ilustrações: Leandro Moraes - Estúdio Caraminholas

Música: Sergio Pererê

Coordenação Geral: Renato Ciminelli - Presidente do Instituto Quadrilátero / Geopark