Mirante Digital: Serra do Rola Moça

Serra do Rola Moça

1. Linha de Transmissão e Antenas de Telefonia celular

2. Estrada dentro do Parque do Rola Moça que leva ao distrito de Casa Branca, Município de Brumadinho.

3. Vegetação de campo ferruginoso (canga)

O Campo Ferruginoso, composto por importantes depósitos de minério de ferro com incidência de afloramentos ferruginosos, é um tipo de solo extremamente raro, sendo encontrado apenas aqui em Minas Gerais, no Quadrilátero Ferrífero, e na Serra dos Carajás, no estado do Pará. As cangas constituem verdadeiras ‘‘ilhas de ferro’’ distribuídas nos topos e encostas das serras, em altitudes que variam de 900 a 1900m. A vegetação associada a este tipo de solo é considerada de ‘importância biológica especial’, apresentando várias fisionomias campestres como campo limpo, campo sujo e os campos rupestres propriamente ditos.

No caso do mirante em questão, a visita aos Campos Ferruginosos do Parque Estadual da Serra do Rola Moça só é permitida com acompanhamento dos monitores deste Parque.

4. Serra do Rola Moça

O nome desta Serra foi contado em “causo" e imortalizado por Mário de Andrade em um poema que relata a história de um casal que, logo após a cerimônia de casamento, cruzou a Serra de volta para casa. No caminho, o cavalo da moça escorregou no cascalho e caiu no fundo do grotão. O marido, desesperado, esporou seu cavalo ribanceira abaixo e “a Serra do Rola-Moça, Rola-Moça se chamou".

Situada no monoclinal da Serra do Curral, justo na confluência das Serras do Curral, Moeda e Três Irmãos, englobando os municípios de Belo Horizonte, Nova Lima, Ibirité e Brumadinho. Abriga uma paisagem peculiar devido à topografia acidentada, com altitudes que variam entre 1200 e 1800 m de altitude, características geológicas e riquezas naturais presentes nos diferentes ecossistemas que abriga, como matas ciliares, áreas de cerrado e campos rupestres.

5. Pedra Grande e Serra de Itatiaia

A Pedra Grande com 1.434 metros de altitude está situada na Serra de Itatiaia, no limite dos municípios de Igarapé, Mateus Leme e Itatiaiuçu. Localiza-se a 8km do centro da sede distrital do Município de Igarapé. Do alto tem-se uma vista privilegiada da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

O Decreto Municipal n.º 1.318, de 1º de outubro de 2008, formaliza o tombamento do bem cultural denominado ‘‘Conjunto Natural e Paisagístico da Pedra Grande". Por determinação desse Decreto, quaisquer intervenções no local dependem de prévia deliberação do Conselho Deliberativo Municipal do Patrimônio Cultural de Igarapé.

6. Serra do Elefante

A Serra do Elefante localiza-se no Município de Mateus Leme, a aproximadamente 60 km de Belo Horizonte. Trata-se de uma serra (ou um morro, como os habitantes do município a chamam)) que de determinada perspectiva assume a posição de um elefante deitado. Com aproximadamente 1300m de altitude, é considerada uma Unidade de Conservação do tipo Monumento Natural, além de ser tombada como bem cultural e paisagístico pelo Município de Mateus Leme.

7. Circuito Veredas do Paraopeba

O Circuito Turístico Veredas do Paraopeba compreende uma região mineira cercada de montanhas, com muitos vales, rios, cachoeiras e água abundante. Este se caracteriza por uma narrativa baseada na antiga passagem de tropeiros e bandeirantes que cruzaram a região compreendida no vale do Rio Paraopeba em busca de riquezas. Possui uma gastronomia diversificada com belos festivais gastronômicos, festival de inverno, encontro de bandas entre outras manifestações culturais.

Dentro desta temática, o Circuito Turístico Veredas do Paraopeba tem como objetivo viabilizar a consolidação de uma atividade turística competitiva, trabalhando junto aos municípios e parceiros, buscando beneficiar toda a cadeia empresarial da região focando no bem estar dos visitantes.

Este circuito é apoiado pelos municípios de Belo Vale, Bonfim, Brumadinho, Florestal, Igarapé, Itaguara, São Joaquim de Bicas, Rio Manso, Moeda, Mário Campos, Juatuba e Jeceaba.

8. Sede do Município de Mario Campos

Município localizado na Região Metropolitana de Belo Horizonte, há 38 km da capital do Estado. Sua população aferida pelo IBGE em 2010 era de 13.214 habitantes, com extensão aproximada de 35,196 km2. É considerado uma estância hidromineral, onde há a maior fonte de vazão espontânea de água mineral por metros cúbicos do mundo.

Mário Campos está incluído no Circuito Veredas do Paraopeba, que compreende uma região mineira cercada de montanhas, com muitos vales e rios e água abundante. Os pontos turísticos da topografia do município referem-se aos recursos hídricos, sendo os principais: Rio Paraopeba, a vegetação, as matas ciliares, as serras, a fonte de água mineral e o cinturão verde que circunda o município.

9. Sede do Município de Sarzedo

Sarzedo é um município situado às margens da rodovia MG-40, entre os municípios de Ibirité e Mário Campos. Tem como limite ao norte o município de Betim, separados pelo Ribeirão Sarzedo; e ao sul, o município de Brumadinho, separados pela Serra Três Irmãos, extensão da Serra do Curral. Pertence à Região Metropolitana de Belo Horizonte e tem população estimada pelo IBGE (2010) de 25.814 habitantes, com extensão de 62,134 km2.

10. Parque Estadual Serra do Rola Moça

O Parque Estadual da Serra do Rola-Moça é uma das mais importantes áreas verdes do Estado de Minas Gerais. Situado na região metropolitana de Belo Horizonte, é o terceiro maior parque em área urbana do país e abriga alguns dos mananciais que abastecem a capital. Esta unidade de conservação está localizada nos municípios de Belo Horizonte, Nova Lima, Ibirité e Brumadinho e foi criada em 27 de setembro de 1994, coma publicação do Decreto 36.071.

Os 3.941,09 hectares do Parque Estadual da Serra do Rola-Moça são habitat natural de espécies da fauna ameaçadas de extinção como a onça parda, a jaguatirica, lobo-guará, o gato-do-mato, o macuco e o veado campeiro.

Está situado numa zona de transição de Cerrado para Mata Atlântica, rico em campos ferruginosos e de altitude. A vegetação diversificada proporciona ao Parque um colorido especial e um relevo peculiar, sendo encontradas espécies como orquídeas, bromélias, candeias, jacarandá, cedro, jequitibá, arnica e a canela-de-ema, que se tornou o símbolo do Parque. Recentemente descrito pela geologia, o Campo Ferruginoso é muito raro, sendo encontrado apenas em Minas Gerais, no quadrilátero ferrífero, e em Carajás, no Estado do Pará.

11. Bairro Jardim Montanhês, pertencente ao Município de Ibirité

12. Sede do Municípo de Ibirité

O Município de Ibirité limita-se com os municípios de Belo Horizonte pelo leste e nordeste; Contagem e Betim pelo norte; Sarzedo pelo oeste e Brumadinho pelo sul. Sua área é de 72,573 km2 com população estimada de 171.932 habitabtes (IBGE, 2014).

Suas principais atividades econômicas são a plantação de hortaliças e a mineração. A economia de Ibirité não é de grande peso se comparada à sua população. Há até alguns que apelidam o lugar de ‘‘cidade dormitório". Grande parte dos residentes de Ibirité trabalham em cidades vizinhas, principalmente Belo Horizonte, Contagem e Betim.

13. Sede do Município de Betim

Betim é um município que faz parte da Região Metropolitana de Belo Horizonte, localizado a 39 km da capital do Estado, possuindo 412.003 habitantes (IBGE, 2014) e com 342.846 km2 de extensão. Além de polo petroquímico e automotivo, a cidade também abriga importantes empresas no setores de metalurgia, alumínio, mecânica, serviços e logística.

Possui monumentos tombados pelo Patrimônio Municipal, como a Igreja de São Sebastião, a Casa de Cultura Josephina Bento e a Colônia Santa Isabel. O turista também pode conhecer a Estação Ferroviária Capela Nova, a primeira de Betim, e a Igreja Nossa Senhora do Rosário.

Para os visitantes que buscam um contato direto com a natureza, a Trilha dos Bandeirantes é o passeio ideal, com bucólicas paisagens e antigas fazendas. Outro atrativo natural de Betim é o Parque Ecológico Vale Verde com atividades variadas que vão desde os viveiros de preservação de aves ameaçadas de extinção ao Alambique onde o turista pode observar a fabricação de cachaça, Museu da Cachaça e orquidário.

14. Desgaste na encosta da serra derivada por atividades de mineração na região.

15. Lagoa da Petrobrás

A Lagoa da Petrobrás é uma represa localizada na divisa entre os municípios de Sarzedo e Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Apesar de a maior parte da represa estar no município de Ibirité, perto dos condomínios Quintas da Jangada e Quintas da Lagoa, aproximadamente um oitavo da represa está dentro dos limites de Sarzedo. É utilizada no processo industrial da Refinaria Gabriel Passos.

16. Sede do Município de Contagem

Contagem é um município que integra a Região Metropolitana de Belo Horizonte, contando com aproximadamente 643.476 habitantes e com extensão de 195,268 km2 (IBGE, 2014). Ao longo do tempo, os limites geográficos do município perderam-se em virtude do seu crescimento horizontal em direção à Belo Horizonte, ocasionando uma intensa conurbação com esta capital. Considerado um dos mais importantes parques industriais do Brasil, seu sistema viário, planejado para comportar um fluxo intenso de veículos e de carga, é feito através das principais rodovias do país, a BR-381 (Fernão Dias - acesso a São Paulo), BR-262 (acesso a Vitória e Triângulo Mineiro) e a BR-040 (acesso a Brasília e Rio de Janeiro).

O município possui alguns atrativos turísticos como: a Igreja Matriz de São Gonçalo; a Capela Imaculada Conceição e Santa Edwiges; o Centro Cultural Francisco Firmo de Mattos Filho; a Casa da Cultura Nair Mendes Moreira; a Feira de Arte e Artesanato do bairro Eldorado e do Bairro Amazonas; a Casa de Cacos; o Parque Municipal Gentil Diniz; a Barragem Vargem das Flores; além de vários shoppings centers.

17. Serra da Piedade

A Serra da Piedade forma a extremidade oriental do conjunto da Serra do Curral; nas palavras de Burton, ‘‘a enorme Serra da Piedade se curva, para encontrar a do Curral’’. A história da serra está estreitamente ligada às lendas que povoavam o imaginário dos portugueses e dos bandeirantes paulistas. Uma dessas lendas dizia respeito à existência de uma serra misteriosa que resplandecia aos raios do sol, denominada pelos índios de Itaberabuçu (Ita = pedra; bira = reluzente; uçu = grande). A lenda da montanha resplandecente vivia na imaginação dos portugueses desde 1600 e, para Vasconcellos (1946), estimulou várias expedições aos sertões que tomavam diferentes caminhos, podendo-se citar, dentre outras, a expedição de Fernão Dias Paes Leme, que acabou por fixar-se na Quinta do Sumidouro em Lagoa Santa.

Pertencente a região metropolitana de Belo Horizonte, sendo continuidade da Serra do Curral, e conformando-se em divisa natural dos Municípios de Sabará e Caeté. Com aproximadamente 20 km de extensão, sua altitude chega aos 1700 metros de altura, sendo por isso os ventos constantes na região e apresentando formação de geada durante o inverno.

18. Sede do Município de Belo Horizonte

Belo Horizonte é a capital do estado de Minas Gerais, Com uma área de aproximadamente 331,401 km2 e população aproximada de 2.375.151 (IBGE, 2014). Cercada pela Serra do Curral, que lhe serve de moldura natural e referência histórica, foi planejada e construída para ser a capital política e administrativa do estado mineiro sob influência das ideias do positivismo, num momento de forte apelo da ideologia republicana no país. Sofreu um inesperado acelerado crescimento populacional, chegando a mais de 1 milhão de habitantes com quase 70 anos de fundação.

Entre as décadas de 1930 e 1940, houve também o avanço da industrialização, além de muitas construções de inspiração modernista, notadamente as casas do bairro Cidade Jardim, que ajudaram a definir a fisionomia da cidade.

19. Serra do Curral

A Serra do Curral integra o maciço da Serra do Espinhaço, fazendo um limite natural de aproximadamente 20 Km de extensão, entre os municípios de Belo Horizonte e de Nova Lima. Seu nome alude a Curral del Rei, primitiva designação da localidade onde foi erigida em 1897 a capital de Minas Gerais, Belo Horizonte. Sua flora é bastante diversificada, variando, em gradientes, de áreas de campo rupestre (cotas mais altas), passando pelo cerrado até remanescentes da Mata Atlântica. Sua altitude média varia de 1.100 a 1.350 metros, sendo que o ponto culminante se encontra no Pico Belo Horizonte a uma altitude de 1.390 metros.

Tombada pela Lei Orgânica do Município de Belo Horizonte e pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, ela é o marco geográfico mais representativo da região metropolitana de Belo Horizonte.

1. Serra do Rola Moça

O nome desta Serra foi contado em um ‘‘causo" e imortalizado por Mário de Andrade em um poema que relata a história de um casal que, logo após a cerimônia de casamento, cruzou a Serra de volta para casa. No caminho, o cavalo da moça escorregou no cascalho e caiu no fundo do grotão. O marido, desesperado, esporouseu cavalo ribanceira abaixo e ‘‘a Serra do Rola-Moça, Rola-Moça se chamou".

Situadano monoclinal da Serra do Curral, justo na confluência das Serras do Curral, Moeda e Três Irmãos, englobandoos municípios de Belo Horizonte, Nova Lima, Ibirité e Brumadinho. Abriga uma paisagem peculiar devido à topografia acidentada, com altitudes que variam entre 1200 e 1800m de altitude, características geológicas e riquezas naturais presentes nos diferentes ecossistemas que abriga, como matas ciliares, áreas de cerrado e campos rupestres.

2. Estrada dentro do Parque do Rola Moça que leva ao distrito de Casa Branca, Município de Brumadinho.

3. Serra da Calçada

A Serra da Calçada, situada a cerca de 20 km de Belo Horizonte, localiza-se à margem direita da BR/040, sentido Rio de Janeiro, estendendo-se por cerca de 8 km entre os municípios de Nova Lima e Brumadinho. Divide as bacias dos rios Paraopeba e das Velhas. Incorpora uma área verde de aproximadamente 1,1 mil hectares onde vivem e se reproduzem várias e importantes espécies da fauna e da flora nacionais. Originam-se nesta Serra diversos aqüíferos e nascentes que abastecem de água potável muitos municípios vizinhos de Brumadinho.

Sua denominação deve-se à formação de seus solos, compostos basicamente por óxidos de ferro hidratado e cimentado em conseqüência do intemperismo. Outra versão, sustenta que o nome vem dos antigos pisos calçados, ainda hoje existentes em vários trechos, que facilitavam o acesso aos antigos núcleos de mineração e fazendas da região, cuja ocupação remonta ao final do século 17 e início do século18. Nos últimos anos tem aumentado sistematicamente o número de pessoas que se dirigem à serra em busca de suas qualidades naturais, paisagem e possibilidades para a prática de esportes.

4. Parque Estadual Serra do Rola Moça

O Parque Estadual da Serra do Rola-Moça é uma das mais importantes áreas verdes do Estado de Minas Gerais. Situado na região metropolitana de Belo Horizonte, é o terceiro maior parque em área urbana do país e abriga alguns dos mananciais que abastecem a capital. Esta unidade de conservação está localizada nos municípios de Belo Horizonte, Nova Lima, Ibirité e Brumadinho e foi criada em 27 de setembro de 1994, coma publicação do Decreto 36.071.

Os 3.941,09 hectares do Parque Estadual da Serra do Rola-Moça são habitat natural de espécies da fauna ameaçadas de extinção como a onça parda, a jaguatirica, lobo-guará, o gato-do-mato, o macuco e o veado campeiro.

Está situado numa zona de transição de Cerrado para Mata Atlântica, rico em campos ferruginosos e de altitude. A vegetação diversificada proporciona ao Parque um colorido especial e um relevo peculiar, sendo encontradas espécies como orquídeas, bromélias, candeias, jacarandá, cedro, jequitibá, arnica e a canela-de-ema, que se tornou o símbolo do Parque. Recentemente descrito pela geologia, o Campo Ferruginoso é muito raro, sendo encontrado apenas em Minas Gerais, no quadrilátero ferrífero, e em Carajás, no Estado do Pará.

5. Condomínio Retiro das Pedras

O Retiro das Pedras é um condomínio fechado, localizado no município de Brumadinho, mais propriamente na BR-040, saída para o Rio de Janeiro. Fica em um dos pontos mais altos, possuindo assim uma vista privilegiada da região.

O condomínio existe desde 1957, sendo um dos mais antigos da região.Ainda, Possui completa área de lazer, com clube social, piscinas, quadras, academia, restaurante, salão de beleza, capela e escolinha infantil. Além disso, conta também com trilhas nas quais se realizam caminhadas e ciclismo, muito freqüentadas por habitantes da região.

6. Área de exploração de atividades de mineração.

7. Casa Branca

Casa Branca é um povoado situado no entorno do Parque Estadual da Serra do Rola-Moça, pertencente ao município de Brumadinho. Por toda a beleza natural e cultural, configura-se como um lugar ideal para os amantes da natureza, do descanso e da culinária mineira. O clima, a riqueza paisagística e os recursos ambientais são favoráveis ao turismo, especialmente para a prática do ecoturismo, fato que levou ao aumento considerável do número de pousadas e restaurantes no local.

Atualmente, Casa Branca tem crescido muito, principalmente com a implantação de condomínios e loteamentos no seu entorno, para servir de segunda residência para famílias das classes média e alta de Belo Horizonte.


8. Sinclinal da Serra da Moeda

O Sinclinal Moeda é uma mega estrutura geológica composta por um conjunto de ambientes montanos nitidamente distinguíveis na paisagem regional, formada pela Serra da Moeda, Serra das Serrinhas, Serra dos Três Irmãos, Serra dos Mascates, Serra do Esmeril, dentre outras.

O Sinclinal da Moeda nasce nos municípios de Nova Lima e Brumadinho. Desde seu início, este compreende em sua margem direita, considerando orientação norte-sul, o território dos Municípios de Nova Lima, Itabirito, Ouro Preto e Congonhas. Na sua margem esquerda, os Municípios de Brumadinho, Moeda, Belo Vale e Jeceaba.

9. Piedade do Paraopeba

Piedade do Paraopeba é um distrito do Município Brumadinho, localizado no sopé da Serra da Moeda. É um dos povoados mais antigos de Minas Gerais e conta com importantes monumentos históricos como a igreja Matriz de Nossa Senhora da Piedade, inaugurada em 1713, e a Igreja de Nossa Senhora do Rosário.Atualmente, esse distrito engloba os povoados de Palhano, Córrego Ferreira, Piedade do Paraopeba e os Condomínios Retiro do Chalé, Águas Claras, Jardins, Recando da Serra (todas essas comunidades estão ao lado da mina Serrinha).

Tornou-se um local rico em destilarias. Possui uma série de nascentes e cachoeiras que são apreciadas pelos turistas e praticantes de esportes, além de representar um recurso essencial para a qualidade de vida da comunidade local.

10. Município de Brumadinho

Brumadinho é um município com população aproximada de 37.314 habitantes (IBGE, 2014) e extensão de 640,15 km2. Seu nome deve-se ao fato do local estar próximo à antiga Vila de Brumado Velho, que por sua vez, teria sido assim denominada pelos bandeirantes por causa das brumas comuns em toda a região montanhosa em que se situa a região.

Este município conta com grandes mananciais de água, importantes para o abastecimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Além da água, há exploração de outros minerais, como as jazidas de minério de ferro, por grandes empresas mineradoras do país. Brumadinho também é famoso por sua produção de cachaça artesanal.

No município de Brumadinho, especialmente na parte leste, existem muitos condomínios horizontais, onde vive uma população de alta renda atraída pela beleza natural da região e clima mais frio. Pelo mesmo motivo, há no município várias opções gastronômicas, desde a tradicional comida mineira feita no fogão a lenha até restaurantes de alto padrão, campestres ou localizados nos condomínios.


11. Aranha, Brumadinho

Aranha é um distrito do Município de Brumadinho. O Distrito de Aranha está situado na encosta da Serra dos Três Irmãos, próximo ao Rio Paraopeba, numa pequena elevação.

Em Aranha está localizado o povoado de Melo Franco, distante 15 Km de Brumadinho. Neste povoado, todos os anos acontece o Festival da Mexerica Ponkan, que atrai um grande público. Além do festival, o lugar também tem sido procurado pela peculiaridade da culinária local. Uma referência é o Bar Rapa de Angu, pequeno, totalmente rural, com pratos caseiros e boa hospitalidade, próprio para os que apreciam a boa comida mineira e a simplicidade da vida no campo.

Fazem parte, também, do distrito de Aranha os seguintes povoados: Córrego de Almas, Samambaia e Suzana. Neste último, ocorre a tradicional Festa do Milho. Aranha se destaca em Brumadinho pela produção de vinhos e licores de jabuticaba, de muito boa qualidade.

12. Córrego do Feijão, Brumadinho

É um povoado de Brumadinho, localizado em uma área de muitos atrativos naturais, sendo destino de tiristas que se interessam pelo ecoturismo e pela culinária local.

Neste povoado está localizada a Mina do Córrego de Feijão, pertenente a VALE S.A. Inclusive, fontes orais contam que o nome do povoado deve-se a mineração, sendo originado em um incidente de um motorista que dirigia um caminhão que transportava uma carga de feijão pelas imediações da Mina e, que por uma má circunstância, perdeu o controle do veículo e tombou a carga em um córrego. A partir dessa circunstância acidental, o local utilizado para extrair minérios, combustíveis, etc. passou a ser chamado de Mina do Córrego de Feijão.


13. Vale do Paraopeba

Na região destaca-se o Circuito Turístico Veredas do Paraopeba, compreendido em uma região mineira cercada de montanhas, com muitos vales, rios, cachoeiras e água abundante. Este se caracteriza por uma narrativa baseada na antiga passagem de tropeiros e bandeirantes que cruzaram a região compreendida no vale do Rio Paraopeba em busca de riquezas. Possui uma gastronomia diversificada com belos festivais gastronômicos, festival de inverno, encontro de bandas entre outras manifestações culturais.

Dentro desta temática, o Circuito Turístico Veredas do Paraopeba tem como objetivo viabilizar a consolidação de uma atividade turística competitiva, trabalhando junto aos municípios e parceiros, buscando beneficiar toda a cadeia empresarial da região focando no bem estar dos visitantes.

Este circuito é apoiado pelos municípios de Belo Vale, Bonfim, Brumadinho, Florestal, Igarapé, Itaguara, São Joaquim de Bicas, Rio Manso, Moeda, Mário Campos, Juatuba e Jeceaba.

14. Sede do Município de Ibirité

O Município de Ibirité limita-se com os municípios de Belo Horizonte pelo leste e nordeste; Contagem e Betim pelo norte; Sarzedo pelo oeste e Brumadinho pelo sul. Sua área é de 72,573km2 com população estimada de 171.932 habitabtes (IBGE, 2014).

Suas principais atividades econômicas são a plantação de hortaliças e a mineração. A economia de Ibirité não é de grande peso se comparada à sua população. Há até alguns que apelidam o lugar de ‘‘cidade dormitório". Grande parte dos residentes de Ibirité trabalham em cidades vizinhas, principalmente Belo Horizonte, Contagem e Betim.

15. Sede do Município de Belo Horizonte

Belo Horizonte é a capital do estado de Minas Gerais, Com uma área de aproximadamente 331,401 km2 e população aproximada de 2.375.151 (IBGE, 2014). Cercada pela Serra do Curral, que lhe serve de moldura natural e referência histórica, foi planejada e construída para ser a capital política e administrativa do estado mineiro sob influência das ideias do positivismo, num momento de forte apelo da ideologia republicana no país. Sofreu um inesperado acelerado crescimento populacional, chegando a mais de 1 milhão de habitantes com quase 70 anos de fundação.

Entre as décadas de 1930 e 1940, houve também o avanço da industrialização, além de muitas construções de inspiração modernista, notadamente as casas do bairro Cidade Jardim, que ajudaram a definir a fisionomia da cidade.

16. Forte do Brumadinho

Situado no alto da Serra da Calçada, em propriedade da MBR, o Forte do Brumado é um sítio arqueológico constituído por uma construção defensiva do século XVIII, em formato de um retângulo, com área total em torno de uns 2000 m². Esta possui paredes de aproximadamente 5m de altura e 1m de espessura, compostas por pedras sobrepostas. Possui uma única entrada e em seu interior há uma construção também em pedras, com janelas amplas, que certamente deve ter sido uma casa com cobertura. Nas trilhas que cortam a região, inclusive as que levam ao Forte, há a presença de calçamento em pedras.

Navegue também pelas serras

Promotoria

Apoio Técnico:

GGN

Apoiadores Financeiros:

CNPQ  Finep  Fapemig

Parceiros:

INCT Acqua  Codap  Cedecap

Uma realização:

Instituto Quadrilátero  Geopark Quadrilátero Ferrífero

Produção:

Orange Editorial

Curadoria Digital: Helio Martins

Textos: Thais Pacheco

Imagens: Bruno Senna, Helio Martins - Raw Filmes

Interpretação da paisagem: Doutora Jeanne Cristina Menezes Crespo

Ilustrações: Leandro Moraes - Estúdio Caraminholas

Música: Sergio Pererê

Coordenação Geral: Renato Ciminelli - Presidente do Instituto Quadrilátero / Geopark